Você está aqui: Homenossos MÉTODOSÍons negativos

Íons negativos

Fundo: Pesquisa sobre saúde

Íons negativos melhoram a saúde

Íons negativos produzidos pelas lâmpadas de sal, caindo água e ionizantes purificadores de ar domésticos são benéficos para a saúde, relaxamento, aprendizagem, foco e criatividade.

Se você freqüentar lojas de alimentos saudáveis ou livrarias de nova era, você provavelmente já viu lâmpadas de sal do Himalaia com destaque em exibição – ou outros purificadores de ar que atuam como ionizers negativos. Estes dispositivos são para melhorar a saúde, limpar sua mente e melhorar o foco criativo, elevar espíritos e humores baixos. Mas o que são íons negativos, e como eles funcionam?

Quais são os íons negativos?

Íons são moléculas que ganhou ou perdeu uma carga elétrica, dando-lhes uma carga positiva ou negativa. Íons positivos são produzidos por máquinas e tecnologia. Computadores, televisores, geladeiras, carros, aviões, unidades de aquecimento de ar condicionado e saturam casas, escritórios e outros ambientes internos com iões positivos.

Íons negativos causam efeitos contrários ao efeito desgastante de iões positivos – Íons negativos, efeitos positivos!  Aumentam a imunidade, melhoram o sistema respiratório, elevam o humor, e muito mais.

Como negativos íons apoiam a saúde e o bem-estar

De acordo com um artigo de 1992 publicado na revista eletrônica Popular, iões positivos têm sido associados com “um número de problemas de baixo grau, tais como fadiga, dor de cabeça e ansiedade.” (Iovine, n/a). Por outro lado, os íons negativos têm sido associados com uma variedade de benefícios para o humor, a clareza da mente e criatividade. Eles fazem isso aumentando o fluxo de oxigênio ao cérebro, melhoram a coordenação e dão mais energia mental.

Ionizadores negativos também são para melhorar a qualidade do ar e ajudar pessoas com problemas respiratórios e alérgicos. Isso ocorre porque os íons negativos atraem poeira, germes e bactérias, até que eles fiquem pesados o suficiente para irem ao chão e serem aspirados.

Segundo estudos, cerca de um terço da população é sensível o suficiente para notar uma diferença imediata em sua clareza e concentração, apenas abrindo uma janela para a natureza, ou ao entrar em uma sala onde tem um ionizador negativo.

Ionizadores negativos foram encontrados por pesquisadores na Universidade de Columbia de Nova Iorque, por serem tão eficazes quanto os antidepressivos químicos no combate à depressão crônica.

Íons negativos ocorrem na natureza

Íons negativos são abundantes na natureza. Eles estão especialmente presentes perto de água corrente, ou em qualquer lugar que moléculas podem ter perdido uma carga graças à radiação da luz solar, ou se movendo no ar ou na água. Michael Terman (Columbia University) creditou aos íons negativos o sentimento de otimismo no ar, depois de uma tempestade.

Fontes naturais de íons negativos incluem:

  • Movimento ao ar livre ou nas montanhas
  • surf na praia
  • perto de cachoeiras e outros corpos de águas em movimento

Pesquisa sobre íons negativos

Estudos sobre os efeitos dos íons negativos no ambiente doméstico e de trabalho relatam que:

  • íons negativos melhoram a aprendizagem em crianças normais e deficientes
  • proteção contra doenças respiratórias com ionização negativa do ar chega a 90%
  • íons negativos resultaram em mais de 40% de redução de micróbios aerotransportados em clínicas dentárias
  • realização de ensaios em estudantes universitários revelou melhora conciderável da visão quando a exposição aos íons negativos foi aumentada

Fontes de íons negativos

A melhor fonte de íons negativos sempre vai estar na natureza. Infelizmente, a vida na cidade geralmente não permite horas diárias para serem gastas na praia ou em caminhadas pelas montanhas  – então ionizadores de ar podem ser uma solução acessível.

Geralmente, você pode encontrar ionizadores para áreas residênciais em lojas de produtos para a melhoria da saúde. Mas, você também pode considerar a quente e calmante elegância de uma lâmpada de sal ou uma cachoeira mecânica para ajudar a agitar a estirpe de iões positivos e melhorar seu ar com íons negativos.



Fundo: Natureza Ecologia

Em 1910, Albert Einstein disse que as propriedades curativas do ar da montanha de Davos foram devido à eletricidade no ar.

O ar que contém moléculas de nitrogênio, oxigênio, vapor d’água, dióxido de carbono, etc. . Cada uma dessas moléculas contêm átomos. Os átomos perdem ou ganham elétrons e íons: se ganhou elétrons têm uma carga elétrica negativa, enquanto se perde elétrons, sua carga será positiva.

íons positivos e negativos ocorrem naturalmente no ar que respiramos. Em um ambiente equilibrado, ou seja, saudável, há uma faixa de um Íon positivo para cada quatro negativos. Íons ocorrem espontaneamente na natureza, por diferentes razões: cachoeiras e clima (tempestades de raios, vento etc.), Pela radiação da Terra, a radiação cósmica e outros. Há  íons na atmosfera da Terra, esse poder é essencial para a vida, porque, como várias experiências em animais e plantas em ambientes ao ar livre revelaram, os animais morrem logo e as plantas não crescem quando há falta de íons negativos.

A ionização do ar positivo é prejudicial aos seres humanos, animais e plantas. Em seres humanos pode causar cansaço, dor de cabeça, falta de ar, alergias, depressão, nervosismo, insônia, etc. O excesso de íons positivos ocorre em todas as cidades por causa da poluição do ar, que destroi os íons negativos. No campo e nas montanhas dominam os íons negativos.

Os íons positivos são formados por causa do sol, os raios ultravioletas, raios cósmicos, os ventos secos do sul, o atrito das massas de ar antes de uma tempestade … Mas os humanos também produzem poluição do ar, ar condicionado, telas de televisão (que pode produzir um campo de 20.000 volts), computadores, telefones celulares, fibras sintéticas, dentre outros …

ionização negativa do ar é benéfica porque melhora o humor e as funções corporais. Os íons negativos são formados pelas descargas elétricas de relâmpagos, a função da clorofila das plantas e da questão da radioatividade natural da Terra. Nas montanhas há muitos íons negativos. Movimento da água produz muitos íons negativos (chuveiros, fontes, cascatas, cachoeiras, o mar).

 


 


Fundo: Piramidal

Ânions (íons negativos) para purificar o ar e prevenir doenças

Nova tecnologia elimina partículas e micro-organismos nocivos suspensos no ar.

Emissão de íons negativos comprovadamente proporciona sensação de bem estar ao purificar o ar e tornar o ambiente mais salubre

íons negativos são a razão pela qual nos sentimos extremamente bem em contato com a natureza. Eles se formam, por exemplo, próximo a cachoeiras, quando moléculas de água se chocam com rochas e seus elétrons acabam escapando, se unindo a outras partículas próximas. Quando o átomo ou molécula resultante desta fusão tem mais elétrons do que prótons, é criada uma carga negativa, que forma o íon negativo, comprovadamente benéfico para a saúde humana.

No entanto, esse tipo de molécula é cada vez mais rara nos ambientes urbanos, onde há excesso de íons positivos, que são prejudiciais à saúde. Diversos fatores contribuem para o excesso de íons positivos em ambientes fechados, como partículas de poluição no ar, ondas eletromagnéticas geradas por equipamentos eletroeletrônicos e poluição das águas.

Um teste recente realizado na Universidade de Jerusalém com um grupo de pessoas com idade entre 20 e 65 anos evidenciou os efeitos positivos dos íons negativos. O mesmo grupo, quando confinado em um ambiente carregado de íons positivos, tornou-se agressivo e mal humorado. Quando foram expostos a íons negativos, todas as pessoas submetidas ao teste apresentaram um padrão de ondas cerebrais que sugeria aumento da vigilância e do relaxamento.

Hoje há no mercado diversos dispositivos geradores de ânions, desde acessórios a serem usados no computador, até dispositivos para carros e aparelhos para se usar no lar ou escritório. Inclusive lâmpadas compactas, tipo fluorescentes, que além de economizarem energia elétrica ainda beneficiam a saúde e bem estar das pessoas através do efeito positivo dos ânions no ar.

Veja abaixo uma experiência feita com uma lâmpada que emite íons negativos. A experiência foi feita com dois tubos de vidro, um com uma lâmpada que emite íons negativos e outro com uma lâmpada compacta comum. Foi inserida fumaça nos dois tubos e, ao ligar as lâmpadas, foi gritante a diferença entre elas, mostrando que a lâmpada que emite íons realmente purifica o ar. Veja o vídeo!

Além de limpar o ar de partículas como pó, vírus, germes, fumaça de cigarros e outros agentes nocivos à saúde, os íons negativos também agem no corpo. Aceleram a oxigenação das células e tecidos, mantendo a temperatura corporal mais estável, e ajudam no humor, no controle da ansiedade, no alívio da dor e na melhora da atenção.

Teste dos purificadores de ar para carro

Em 2008 a revista Quatro Rodas avaliou três purificadores de ar que funcionam ligados no acendedor de cigarros. Nas grandes cidades, vidro aberto é sinônimo de inalar fumaça. Porém, andar com ele fechado pode ser campo fértil para a proliferação de microorganismos. Se for carro de fumante, então, fica um odor quase insuportável.

Pensando nisso, a revista avaliou três purificadores de ar do tipo ionizadores, que também prometem eliminar odores. São eles: Auto Purifier, Purificar e Car’s Oxygen Bar, que são ligados no acendedor de cigarros.

Participou do teste a bióloga especializada em microbiologia Maria José Silveira, do laboratório Controlbio. Ela coletou as amostras de ar de três automóveis de mesmo porte. Após 14 horas de uso contínuo do equipamento, foram realizadas novas coletas. “Todos os equipamentos funcionaram”, afirma Maria José.

O que se saiu melhor foi o Car’s Oxygen Bar, que reduziu em 80,64% a quantidade de bactérias e em 86,23% a de fungos. Mesmo no dia-a-dia, a usuária Renata Salles notou a diferença. No caso da usuária, os três foram submetidos ao teste do incenso aceso dentro do carro. “Funcionam mesmo. Muito legal. Não sabia que existia esse tipo de equipamento no mercado”, diz Renata. Veja abaixo o quadro com a avaliação completa:

Ânions também para a saúde

Fita emissora de ânions. Emite ate 5.800 ânions por cc.

Aproveitando a característica dos ânions de eliminar bactérias e fungos, a empresa Winalite desenvolveu um produto, a base de algas, capaz de emitir até 5.800 ânions por cc (centímetro cúbico). Assista o vídeo abaixo e observe o efeito fantástico desse produto. O vídeo demonstra o efeito de fitas de ânions sobre a pele de um garotinho de apenas seis meses. Ele contraiu uma doença chamada Síndrome de Skyn. A doença se manifesta sob a forma de escamas na pele, mas na realidade essas escamas são provocadas por bactérias. Sua tia pesquisou sobre os ânions e ficou sabendo que os produtos absorventes da Winalite tinham em sua constituição fitas que emitiam ânions. Ela resolveu então aplicar as fitas de ânions no garotinho, e o resultado você observa no vídeo. Em apenas dois dias já se verifica uma melhora impressionante. Após uma semana a criança já está completamente curada. Veja o vídeo:

A Winalite desenvolveu toda uma linha de produtos absorventes que possuem fitas de ânions em sua constituição. Segundo a empresa, os benefícios dos absorventes com ânions vão desde alto poder de absorção até a melhora do metabolismo, aliviando a fadiga, reduzindo o estresse, erradicando o mau cheiro, eliminando as bactérias, aliviando a inflamação, fortalecendo o sistema imunológico e equilibrando o balanço hormonal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde 80% das mulheres tem problemas íntimos e desse grupo 63% é por causa do uso de absorvente de má qualidade. Daí a importância de se utilizar um produto como os absorventes com ânion da Winalite.

Concentrações de ânions no ar

A Organização Mundial de Saúde recomenda que a concentração de ânions em um ambiente não deve ser menor que 1.000 cc (centímetro cúbico). Porém, em nosso dia-a-dia enfrentamos uma situação muito diferente. Veja abaixo qual é normalmente a concentração de ânions em diversos lugares:

● Área residencial urbana: 50 por cc.
● Área urbana: 100 a 200 por cc.
● Campo: entre 700 a 1.000 por cc.
● Vales e montanhas: acima de 5.000 por cc.

Uma baixa densidade de ânions no ar pode afetar a saúde humana. Quando a quantidade de ânions no ar é muito pequena, o corpo humano pode desenvolver sintomas como fadiga, vertigem, enxaqueca, depressão e dificuldade de respiração, sintomas que seriam rapidamente aliviados se a densidade de ânions no ar aumentasse a 1.200 por cc. Se essa densidade alcançasse 1.500 por cc promoveria a melhora inclusive do estado de ânimo e as pessoas trabalhariam com uma maior eficácia. Portanto, a densidade de ânions é um fator essencial para a saúde humana e a longevidade.

Os efeitos positivos dos íons negativos

Os efeitos benéficos dos ânions na saúde chamaram a atenção de autoridades sanitárias de todo o mundo. Dentre eles temos:

● Melhora o metabolismo
● Elimina bactéricas, fungos e partículas suspensas no ar
● Reduz o estresse
● Alivia fadiga
● Elimina o mau cheiro
● Diminui inflamações
● Fortalece o Sistema Imunológico
● Equilibra o balanço hormonal


 

Fundo: Quantum science

Historicamente, sabia-se que vários ambientes pareciam mais saudáveis que outros. Certas cavernas, poços, montanhas etc. eram conhecidas por suas propriedades curativas, mas, até recentemente, ninguém sabia por que. Hoje, os modernos equipamentos nos dizem que o benefício vem, de modo geral, da alta concentração de íons negativos no ar.

Os íons do ar eram desconhecidos até o final do séc. XIX, quando Elster e Geitel, na Alemanha, e Thomson, na Inglaterra, descobriram, independentemente, sua existência. Muitos cientistas do passado haviam sugerido a existência de forças elétricas que nos rodeiam e que possuem efeitos benéficos e nocivos.
As moléculas de ar são constantemente ionizadas na natureza (isto é, decompostas em partículas de carga positiva ou negativa). A energia necessária para isto vem de uma variedade de fontes naturais que incluem radiação ambiental, raios cósmicos, ondas eletromagnéticas, o sol, relâmpagos e cascatas. Sob determinadas condições meteorológicas, tanto o número total de íons existentes no ar quanto a porcentagem de íons negativos e positivos sofrem alterações. A maioria das moléculas de ar não apresenta carga positiva nem negativa, de fato, apenas 4.000 em cada 2 trilhões possuem esse tipo de carga no ar puro da montanha, mas este número pode aumentar enormemente sob certas condições naturais comuns.

No ar puro do campo, pequenos íons negativos (na maioria íons de oxigênio de carga negativa) são produzidos e estão presentes em concentrações de 300 a 1.000 íons por cm³ de ar. Este é provavelmente o nível indicado para o funcionamento ótimo do nosso organismo. À medida que nos aproximamos das cidades, verificamos que a concentração cai para cerca da metade do nível existente na área rural e que dentro de prédios refrigerados pode haver uma predominância de íons positivos, porque os modernos equipamentos de ar condicionado tendem a remover pequenos íons de carga negativa do ar que purificam.

Íons Positivos X Íons Negativos

Pesquisas científicas indicam que os íons positivos, quando presentes no meio ambiente, fazem-nos sentir cansados, de mau humor, afetando até na capacidade de trabalho. O excesso de íons positivos demonstrou ainda causar inquietação, ansiedade e depressão, ao passo que, os íons negativos têm efeitos justamente opostos.

Íons são átomos que, por um motivo qualquer, perderam ou ganharam elétrons. Quando um átomo perde elétrons torna-se um íon positivo ou cátion, passando a ter excesso de cargas positivas. Contrariamente, ao ganhar elétrons, torna-se um íon negativo ou ânion.
Íons Negativos – Encontrados facilmente em lugares onde o ar é puro, como junto a uma cachoeira ou a uma floresta.
Íons Positivos – Encontrados em áreas de construções, locais fechados e com aparelhos elétricos. São responsáveis por manter em suspensão as impurezas do ar.

Há os fatores que propiciam a geração de íons positivos, tais como o período de mudança de estações, antes da chegada de nevoeiros, antes das tempestades, antes da chegada dos ventos quentes e secos. Há ainda fatores artificiais que destroem ou diminuem fortemente a concentração dos íons negativos no ar. Por exemplo, a poluição das mais diversas origens, ambientes com ar condicionado, certos tipos de energias geradas por fornos de microondas, computadores, televisores, aquecedores, materiais ou tecidos sintéticos, fumaças industriais, os gases tóxicos e venenosos de escapamentos de veículos, a fumaça tóxica e venenosa do cigarro, do charuto e similares; quando exposto a tais situações, o ser humano tem seu sistema somatológico abalado, com baixa do sistema imunológico, sofrendo doenças das mais diferentes e graves naturezas, gerando a priori, fortes alergias, asma, hipertensão, enxaqueca, fraqueza, stress, depressão, insônia, insegurança, medos, bloqueios.

A energia gerada pelos íons, de maneira simplificada, pode ser agrupada de duas formas: a energia dos íons negativos, em parte oriunda da luz solar, constituída por imensos fluxos de radiações solares eletromagnéticas, em média, do comprimento de uma onda curta, e de outros astros da mesma natureza, e a energia dos íons positivos, em parte oriunda da luz lunar e de outros corpos celestes da mesma natureza daquele.
Mas o movimento de ambos os íons, tanto ocorre de dia quanto à noite. Enquanto os íons negativos têm a capacidade de atrair e agregar, os íons positivos têm a capacidade de expandir e afastar. O melhor elemento condutor de íons negativos é o oxigênio. O melhor elemento de absorção de íons negativos é o carbono. Então, enquanto os íons negativos atraem e agregam a energia, inclusive, formando a matéria, os íons positivos transformam e desagregam a mesma.

Um íon, sob um outro aspecto, é um fragmento de molécula ou um átomo carregado eletricamente e, quando negativo, forma o núcleo central pranico. Enquanto os pequenos íons negativos são muito rápidos, os grandes íons negativos, são lentos servindo, inclusive, como ímãs dos pequenos.
Toda esta fantástica e constante movimentação dos íons negativos, representa ao mesmo tempo, a incrível e constante movimentação do Prana, elemento este vital, para a própria existência humana e de outros seres e criaturas.

Compreendendo-se cientificamente tais fatos, fica fácil e claro, entender toda uma série de reações humanas, sob as mais diferentes circunstâncias e situações. Mais que isto, a compreensão clara e objetiva destes fatos, e a possível utilização de tais informações, pode levar o ser humano a mudar para muito melhor sua vida e sua existência.

Enquanto alguns íons são criados, alguns outros são destruídos. Os íons negativos são destruídos principalmente de duas maneiras:

  • Reagrupamento, no caso com íons positivos na atmosfera, formando íons neutros;
  • Absorção, quando defrontados com qualquer tipo de objeto, os íons negativos se prendem a eles perdendo-se portanto do ar que respiramos (móveis, metais, madeira, tecidos, carpetes, pinturas, papeis de parede...).

Por este motivo, os médicos costumam sugerir a retirada destes materiais dos ambientes de uso cotidiano das pessoas com problemas respiratórios.


 

Fundo: Terapia de Caminhos

TERAPIA DOS ÍONS NEGATIVOS

É o uso de partículas de ar com cargas negativas para provocar a prevenção e, inclusive, a regressão de determinadas doenças. Os íons do ar eram desconhecidos até o final do século XIX, quando os físicos alemães Julius Elster (1854-1920) e Hans Geitel (1855-1923), na Alemanha, e Joseph John Thomson (1856-1940) na Inglaterra descobriram, independentemente, sua existência.

O ar contém íons com polaridades elétricas opostas: íons positivos, nocivos quando em excesso, e íons negativos (íons de Oxigênio) que, ao contrário de seu nome “negativo”, são chamados de “vitaminas do ar”. O equilíbrio desses íons no ar que se respira influi de maneira determinante na saúde e na vitalidade, em particular.

E isso porque o Oxigênio assegura as funções vitais básicas, mas ele só passa dos pulmões para o sangue em presença de íons negativos. As más condições da vida moderna provocam o rompimento do equilíbrio iônico e privam de muitos desses íons negativos, tão benéficos para a oxigenação e, consequentemente, para a saúde.

Ao que parece, essa carência de íons negativos é uma das causas das chamadas “doenças da civilização” (cansaço, nervosismo, dores de cabeça, depressão, e outros). O ar é ionizado naturalmente de maneira contínua, e os íons negativos se formam sob a influência de causas naturais, como a radioatividade natural do sol, a fotossíntese das plantas, os raios cósmicos e ultravioletas do Sol, as tempestades e os raios.

Da mesma forma, certos fatores naturais favorecem uma diminuição de íons negativos e um excesso de íons positivos, tais como o ar antes de uma tempestade e da chegada de ventos quentes e secos, o nevoeiro. Por outro lado, diversos fatores artificiais também diminuem a concentração de íons negativos no ar: poluição, ar confinado (residência, carro e transportes coletivos, escritório e escolas), ar condicionado, proximidade de um aparelho elétrico (aquecedor, aparelho de televisão, computador, forno de microondas), tecidos sintéticos (carpetes e roupas sintéticas), fumaças industriais, gás de escapamento dos carros, poeira, cigarro/charuto e até o ar que expelimos dos pulmões.

A utilização dos íons negativos como terapêutica pode ser feita através da ionização negativa artificial na vida diária, com aparelhos geradores de íons negativos, os ionizadores, com a finalidade de restabelecer o equilíbrio iônico do ambiente em que se vive, e desfrutar do mesmo ar que se respira na montanha ou à beira-mar. Desta maneira, a ionização do ambiente traz inúmeros benefícios para as doenças da civilização, além de poder ser benéfica em outras doenças como alergias, sinusite, asma, hipertensão arterial, enxaqueca, cicatrizações cutâneas de queimaduras, etc.

Além disso, os íons negativos também produzem mais atividade alfa no cérebro, e sincronizam esta atividade nas diferentes regiões do cérebro. E a atividade alfa está associada a sentimentos agradáveis e a uma sensação de relaxamento e bem estar.

Atualmente estudada em várias partes do mundo, a Terapia dos Íons Negativos ganhou um certo destaque nos laboratórios da NASA, dos Estados Unidos da América, em que, além de outras pesquisas, tem usado ionizadores negativos para melhorar a atmosfera  em espaçonaves.

Além disso, vem realizando pesquisas com astronautas mostrando que o desempenho, a capacidade de trabalho, a disposição, o tempo de reação, o metabolismo das vitaminas, os estados alérgicos, as dores, a cicatrização de queimaduras têm melhorado quando são submetidos ao ar negativamente ionizado.


 

 

Newsletter

Assinar

Receber no formato
Joomla template by Joomlashine.com
Visitors hit counter, stats, email report, location on a map, SEO for Joomla, Wordpress, Drupal, Magento and Prestashop